ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

Retrospecto do Brasil em confrontos com o México na Copa do Mundo é favorável

No último encontro entre as seleções, houve empate sem gols na primeira fase, em 2014.

30/06/2018

Vai ser em ritmo latino que o Brasil seguirá na busca pelo hexa. Após garantir a classificação para as oitavas de final da Copa na liderança do grupo E, a nossa seleção terá pela frente o México, que terminou a fase de grupos em segundo lugar no grupo F.

Na última Copa, em 2014, o caminho de brasileiros e mexicanos se cruzaram logo na primeira fase. Naquela ocasião, o jogo terminou zero a zero, apesar das chances criadas pelos dois lados.
De quatro anos para cá, muita coisa mudou nas duas seleções. O Brasil trocou de técnico duas vezes. Primeiro, Dunga assumiu o lugar de Felipão após o vexame histórico contra a Alemanha. Com uma campanha ruim nas eliminatórias, Tite assumiu o comando verde e amarelo.

No México, Osório foi contratado logo após o Mundial de 2014 e ainda permanece à frente de La Tri. Os mexicanos, assim como os brasileiros, tiveram desempenho ruim em duas edições da Copa América, incluindo uma goleada histórica de sete a zero para o Chile em 2016.

Apesar do massacre, a federação mexicana manteve Osório no comando da seleção. Mesmo sob desconfiança dos torcedores, o ex-treinador do São Paulo levou o país à classificação para a Copa da Rússia. Com seis vitórias, três empates e uma derrota, os mexicanos terminaram as eliminatórias em primeiro lugar, com cinco pontos a mais que a vice-líder Costa Rica.

Com uma vitória surpreendente diante de Alemanha, outro triunfo diante da Coreia do Sul e um vacilo contra a Suécia, o México chega confiante para o duelo contra o Brasil. O retrospecto é favorável à nossa seleção: jamais perdeu para os mexicanos em Copas do Mundo. São três vitórias, duas delas com direito a goleada e o empate sem gols na última edição.

Chicharito Hernández é a esperança de criatividade, boas jogadas e gols do México. É o homem a ser observado pela comissão de Tite e quem pode fazer a diferença para os nossos adversários.

Já os brasileiros devem tentar manter o desempenho apresentado contra a Sérvia, com uma defesa sólida e movimentação no ataque. A pontaria deve ser trabalhada, já que no último encontro o goleiro Ochoa foi fundamental para o empate sem gols.

Neymar, Phillipe Coutinho e Casemiro estão pendurados com um cartão amarelo cada. Danilo, Douglas Costa e Marcelo, substituído na partida contra a Sérvia com dores nas costas, são dúvidas para o confronto. Brasil e México se enfrentam na próxima segunda-feira (2), às onze da manhã, horário de Brasília.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar