ouça as rádios cultura FM 93 FM
facebook instagram twitter youtube

"Aconteceu a tragédia em Suzano e eu sabia que um vídeo como esse repercutiria bastante", disse "invasor" de escola em Guarapuava

Ele disse que estava autorizado a entrar na escola e simulou invasão para chamar atenção e ganhar visualizações.

20/03/2019

Ouça a matéria no player.

Nicolas Lacheski, autor do polêmico vídeo de uma "invasão" à Escola Raul Henrique Lupatelli, no Bairro Boqueirão, em Guarapuava, disse em entrevista à Rádio Cultura que tinha autorização da diretora para entrar na escola e foi autorizado a tirar o irmão da sala para tirar fotos, que a direção não sabia do teor do vídeo que seria gravado. Segundo ele o objetivo do vídeo foi ganhar visualizações na internet, como ele costuma fazer em outras publicações.

“Recente aconteceu a tragédia em Suzano e ciente disso eu sabia que se eu colocasse um título como esse, um vídeo como esse repercutiria bastante”, disse Nikolas.

Ele explicou que é conhecido na escola porque frequentemente vai buscar o irmão e teve autorização para tirar fotos do irmão. No entanto, não disse à diretora que gravaria o vídeo simulando uma invasão à escola. “Se eu falasse que eu gravaria um vídeo, tirando o aluno de sala de aula, não seria permitido”, disse Nikolas.

A reportagem questionou à Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Guarapuava se alguma medida administrativa contra a direção e/ou funcionários da escola será tomada, mas ainda não há respostas.

Desculpas

“Rolou um mal entendido, eu peço desculpas a quem se sentiu ofendido”, disse Nikolas durante a entrevista, ressaltando que tinha autorização para gravar e que, na opinião dele, não houve irresponsabilidade da escola.

Nikolas é dono de um canal no YouTube com quase 245 mil inscritos. Na maioria dos seus vídeos ele joga CS (Counter-Strike) em lugares inusitados, quase sempre seguindo sugestões de seus seguidores. O canal é patrocinado e quanto mais visualizações conseguir mais ganha.

Nota prefeitura

Em nota à imprensa a Prefeitura classifica o ato de “suposta invasão”, que o autor do vídeo é conhecido dos funcionários da escola e estava autorizado a entrar. Também ressalta que o vídeo foi editado e a escola não estava aberta. Leia a íntegra:

NOTA OFICIAL

A respeito do ocorrido na Escola Municipal Raul Henrique Lupatelli, a Secretaria Municipal de Educação esclarece: O “suposto invasor” na verdade, é irmão mais velho do aluno que aparece no vídeo e, um dos responsáveis por buscá-lo na Escola. Na ocasião, para adentrar ao estabelecimento, solicitou aos funcionários da portaria permissão para conversar com a professora de seu irmão e a essa, disse que por motivos urgentes, necessitava se ausentar momentaneamente com ele. Sendo conhecido dos funcionários e professores, pois é ex-aluno, todos os dias está na Escola buscando o irmão e sua família possui comércio próximo, foi permitida essa rápida ausência. Ressalte-se que o vídeo postado pelo “suposto invasor” foi editado, pois não mostra a solicitação e os diálogos com os funcionários e professores, conforme relato desses. É importante nesse momento, tranquilizar pais e alunos dos nossos estabelecimentos de ensino, ressaltando que se tratou de um caso atípico e isolado e que toda a Rede Municipal de Ensino mantém um padrão de segurança em suas unidades, que serão reforçados após esse episódio. Para finalizar, esclarecemos que as providencias cabíveis estão sendo tomadas, e que a família do invasor está sendo convocada ao estabelecimento de ensino.

Comentários




acompanhe a central cultura no facebook

Basta clicar no botão Acompanhar logo abaixo.

Fechar